#044 – The hype is on the table

Nesta semana, Fernando BaroneTiago P. Zanetic dão continuidade ao papo do último episódio e discutem os prós e contras do hype com produtos de consumo rápido no meio do entretenimento. Cada clique abaixo gera um hype auditivo:

Comentado no episódio

(Se esquecermos de algum link comentado, atualizaremos assim que o Fiscal de Podcast se manifestar.)

Nos dê um real!

Compre nossas coisas

Promoção do Dylão!

Basta comentar em qualquer post do site até o dia 05/12. O melhor comentário ganhará TUDO que Barone e Tiago já escreveram.

SAC

E-mail naomandeum@gmail.com Twitter @naoeumperfil @barone @tpzanetic OU usando a hashtag #issonaoeumahashtag Facebook Isso não é uma página

5 comentários em “#044 – The hype is on the table

  • 8 de novembro de 2017 em 17:34
    Permalink

    Correção: a única dublagem em que o Wendell usa sua própria voz é o Buddy, o Cake Boss. Que tem quase a mesma voz do Goku. E do Bear Grylls. Ou seja: isso não é uma correção. Foda-se.

    Aliás, um episódio sobre dublagens seria uma boa. Se forem fazer, não deixem de falar das maravilhosas dublagens de South Park e aquela dublagem escrota de Friends em que o Chandler diz “Cê tá com a faca e o queijo na mão, Joey. PEGA O QUEIJINHO, PEGA A FAQUINHA”. Ah, e o Ross chama o Joey de “PEDRO BÓ”. Cool.

    Resposta
  • 8 de novembro de 2017 em 17:36
    Permalink

    E já que no final você falou da página Minions Cristãos:

    Os Minions não são criaturinhas que seguem apenas os piores vilões, segundo os filmes da série Meu Malvado Favorito e Minions? Então isso quer dizer que os Minions Cristãos por consequência definem que seguir Cristo é seguir um grande vilão? Ou será que não? Será que vocês vão ler esse comentário? O que será que será que andam suspirando pelas alcovas? Que andam sussurrando em versos e trovas? Que andam combinando no breu das tocas?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *